terça-feira, setembro 11, 2012

De volta...

Por França e já passaram 9 meses. Que vos posso dizer?

Alguns dizem que os primeiros meses são complicados, para mim todos os dias são difíceis e mesmo que tenha alguns momentos felizes não me convenço de que inibam a tristeza.
Fazendo rapidamente uma retrospectiva de tudo o que foi acontecendo ao longo deste ano. A melhor palavra para o descrever: MUDANÇA.

O sair do meu Portugal para a franca, centro da Europa, cheia de cidades grandes e muitos franceses. Os franceses que posso dizer sobre eles. Ainda hoje uma colega francesa me comentou as ferias que passou em Lisboa. Ela queria muito conhecer o lugar de onde vimos. No meio da conversa disse-me que os portugueses são simpáticos e muito prestáveis. Relativamente aos franceses, eu prefiro nao dar a minha opinião. Eu sei que um frances nao representa todos os franceses mas também sei que um portugues nao representa todos os portugueses no entanto, o feedback que ela passou foi bem positivo.

A língua foi das principais dificuldades. O querer falar e nao conseguir, o compreender todas as conversas de corredor e permanecer calados sem pudermos manifestar o que nos vai na alma, o ouvir o telefone e correr para a casa de banho com medo de responder a chamada. Tantas, mas tantas coisas. Depois, dia após dia, fomos crescendo e agora estamos a florir, alguns de nós já conseguem dar fruto.

O trabalho, tanto criticamos o sistema nacional de saúde português e agora que conheço outras valências posso-vos dizer que estamos bem servidos. Valorizem os nossos e o que temos.

A montanha que eu habito, sim uma montanha que não tem um único café aberto a noite para darmos duas de treta. Tudo bem que a montanha no inverno tem neve e a neve até é bonita, os primeiros dias porque depois não se aguenta. Eu tenho um apartamento cá e as vezes parece que não tenho nada. Falta-me o calor Portugues, falta a família, o namorado, os amigos, o meu cão, a vizinha do lado que espreita pela janela para saber a que horas chego a casa. Enfim, tanta coisa.

O aeroporto consigo descreve-lo de duas maneiras. Tanto na chegada como na partido eu acho o Porto lindo a diferença é que na chegada o meu cérebro recorda toda a beleza em redor e na partido em vez de recordar armazena e nem as lagrimas consegue apagar esta memória.

Como o país esta (nomeadamente na aérea da saúde) somos quase que obrigados a emigrar. Mas nao podemos só sofrer com a nostalgia de partir. O bom disto tudo é que por onde quer que passemos deixemos uma marca, e uma boa marca, diga-se. Porque apesar da crise, da saudade e de toda a tristeza que nos acompanha nós somos bons e trabalhamos bem. Depois perguntam-nos se a frança vai a Portugal buscar os melhores alunos. A minha resposta, e com um grande sorriso é: em Portugal não há melhores nem piores, somos todos bons e bem preparados. Somos portugueses. 

Um beijino a todos e até breve!!!!

3 comentários:

Anónimo disse...

As dificuldades são sempre ultrapassadas com um sorriso e um abraço!
Amo-te crominha!

Anónimo disse...

Força Mouli!!

São 9 meses de vitória! Fizeste as malas e partiste na expectativa de alcançar melhor. Só o facto de partires foi um acto de muita coragem, porque muitos de nós, que cá continuamos, temos também a ambição de partir,contudo na hora da verdade o medo domina-nos e continuamos por cá.
Todo esse sacrificio vai valer a pena, pois tal como dizia num filme que vi: "A vida é uma escalada, mas a vista é linda!"
Um beijinho grande Ass: Enregelada

Mouli disse...

Há falta de enfermeiros aqui, se precisares e só dizer. E já somos 14 :)