domingo, janeiro 16, 2011

"...Que sei eu do que serei,
eu que não sei o que sou?
Ser o que penso?
Mas penso ser tanta coisa! E há tantos que pensam ser a mesma coisa que não pode haver tantos!..."

in Tabacaria, Álvaro de Campos

Sem comentários: